papo_delas_logo

SIGA O PAPO NOSSO CANAL /PAPODELAS
sem_filtro

7 Prioridades para a moda alcançar a sustentabilidade

No momento em que paramos para pensar no consumo que queremos para nosso futuro, pausas e discussões se fazem necessárias. O consumo é um fato social e atravessa todas as nossas  instituições . Ele não é um fenômeno externo que deve ser combatido, ele deve apenas ser repensado. Mas afinal devemos consumir melhor ou produzir melhor?

O planeta urge por mudanças de comportamento , pessoas e artefatos não são antagônicos, precisamos juntos encontrar soluções que auxiliem os novos processos de desenvolvimento e compra de produtos. E o mercado, principalmente o de moda, não precisa ser um campo de batalhas. Mas a questão não é somente chegar a um mundo que seja sustentável, mas também renovado.
Será que conseguimos criar um modelo de mudança para orientar a indústria da moda, prático, científico e econômico?

Na preparação para o Copenhagen Fashion Summit deste ano , a Global Fashion Agenda (GFA) – o fórum de sustentabilidade sem fins lucrativos que hospeda o evento – estreou um novo relatório detalhando as sete prioridades de sustentabilidade que devem ser lembradas para executivos de moda nos dias de hoje. Eles destacam as principais ações que a moda precisa abordar agora, que são divididas em prioridades centrais que exigem ação imediata e prioridades transformacionais de longo prazo. Ele também oferece conselhos e orientações sobre como lidar com as questões levantadas.

Criado em colaboração com as principais empresas de moda que abrangem luxo, fast-fashion e manufatura – incluindo Kering , H & M , Target, Bestseller, Li & Fung e Sustainable Apparel Coalition – o relatório fornecerá uma espécie de estrutura para as empresas a partir de maio. Um fórum de inovação ajudará a conectar marcas com fornecedores que atendam às demandas do relatório. É um precipitador de soluções, disse Eva Kruse , presidente e CEO da GFA, descrevendo o cenário como algo semelhante a uma feira. O projeto nasceu do feedback dos participantes do setor, que expressaram preocupações de que o tamanho e a complexidade da questão da sustentabilidade são difíceis de se avaliar.

Nosso objetivo é que este documento possa realmente ajudar qualquer CEO do setor a obter mais clareza e priorizar o que deve gastar em seus esforço disse Kruse. Ela acrescentou que é importante
direcionar os CEOs porque essas decisões têm que ser tomadas nos últimos andares das empresas antes que seja algo que realmente impulsione os negócios. É realmente importante ampliar a conversa de um grupo menor de empresas para o restante do setor, concordou Hendrik Alpen, gerente de engajamento em sustentabilidade da H & M. Esta não é uma missão filantrópica continuou
Kruse. Claro, queremos preservar nosso planeta e fazer melhor para as pessoas que trabalham nele, mas é uma tarefa de CEO porque tem a ver com o desenvolvimento de negócios.

Abaixo podemos analisar as sete prioridades de ação para uma indústria de moda mais sustentável:

Foto: Reprodução

1. RASTREABILIDADE DA CADEIA DE FORNECIMENTO

Muitas marcas operam uma cadeia de suprimentos complexa e muitas vezes fragmentada, o que dificulta o rastreamento da origem das matérias-primas usadas nos produtos. Isso pode ser resolvido através da plotagem de fornecedores nas diferentes etapas da produção. O relatório também recomenda que as marcas de moda publiquem uma lista desses fornecedores para ajudar a aumentar a transparência e estimular a colaboração e o engajamento de partes interessadas.

Foto: Reprodução

2. USO EFICIENTE DE ÁGUA, ENERGIA E PRODUTOS QUÍMICOS

O impacto da moda nas emissões globais de carbono, bem como na poluição por água e produtos químicos, é significativo, desde o curtimento químico do couro até o processamento do denim. As
marcas e seus fornecedores precisam colaborar para rastrear o consumo de água, o uso de energia e produtos químicos e os níveis de poluição. Isso ajudará na implementação de programas de
eficiência no estágio de processamento da cadeia de fornecimento para reduzir o uso de recursos e manter baixa a produção de poluição.

Foto: Reprodução

3. AMBIENTES DE TRABALHO RESPEITOSOS E SEGUROS

De condições de trabalho perigosas a discriminação no local de trabalho, a exploração existe em todos os níveis da indústria em uma variedade de formas e formas. As empresas devem formalizar
condições de trabalho respeitosas com políticas que respeitem os direitos humanos universais.

Foto: Reprodução

4. MISTURA DE MATERIAL SUSTENTÁVEL

A escolha de matérias-primas de uma marca pode definir até 50% de sua pegada ambiental. No entanto, tem havido pouca ênfase na inovação material. As empresas devem aumentar o uso de
materiais de baixo impacto, como algodão orgânico, e investir no desenvolvimento de novos materiais sustentáveis.

Foto: Reprodução

5. SISTEMA DE MODA LOOP FECHADO

Atualmente, a indústria da moda está muito distante de um sistema fechado: de acordo com o relatório, 73% das roupas do mundo acabam em aterros sanitários, enquanto menos de 15% das
roupas são recicladas e menos de 1% do material usado produzir roupas é reciclado em roupas novas. As equipes de design e desenvolvimento de produtos de marcas de moda devem ser
treinadas para criar produtos com o objetivo de longo prazo, projetando itens que sejam duráveis ​​e fáceis de desmontar e reciclar.

Foto: Reprodução

6. PROMOÇÃO DE SISTEMAS DE SALÁRIOS MELHORES

Um impulsionador significativo da saúde econômica e do emprego, a indústria global da moda emprega 60 milhões de pessoas ao longo de sua cadeia de valor, de acordo com o relatório. No entanto, os salários nos países produtores de vestuário são muitas vezes inadequados e não atendem às necessidades básicas dos trabalhadores. As empresas devem garantir que os fornecedores cumpram os requisitos salariais da lei local e explorem como podem suportar melhores sistemas salariais.

Foto: Reprodução

7. QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

A tecnologia é há muito tempo um dos principais impulsionadores da mudança na moda. Embora a digitalização forneça várias soluções, a maneira exata como isso afetará o futuro da moda ainda é desconhecida – e difícil de prever. Estima-se, por exemplo, que em alguns países a automação poderia substituir até 90% dos empregos de trabalhadores de vestuário. As empresas precisam analisar como os avanços tecnológicos podem impactar os trabalhadores nas cadeias de suprimentos e considerar isso ao empregar novas tecnologias.

O processo de sustentabilidade impele a indústria da moda a mudar. Mudar para algo menos poluente , mais eficaz e mais respeitoso do que hoje. Está na hora de começarmos a usar a economia para fins sustentáveis. Um dos grandes desafios, no
entanto, é reconhecer os vários e grandes desafios inerentes a tentativa de unir sustentabilidade, indústria da moda e nosso sistema econômico. Ações como as citadas acima, mostram que a
indústria está preocupa sim com o futuro do consumo, e que está e busca alternativas para o desenvolvimento de novos e melhores produtos. Com iniciativas como essa que podemos acreditar que novos rumos do sistema moda estão cada vez mais caminhando para um momento slow.

Fonte: Revista Catarina

Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.