papo_delas_logo

SIGA O PAPO NOSSO CANAL /PAPODELAS
sem_filtro

Congelamento de óvulos: quanto custa, como funciona, quem pode fazer e mais

O surgimento da pílula anticoncepcional está diretamente ligado à independência da mulher. Com o controle da fertilidade, nós conseguimos nos dedicar ao mercado de trabalho priorizando o sucesso profissional, nos deparamos com a liberdade sexual para escolher mais de um parceiro e, principalmente, pudemos controlar e até adiar a maternidade.

Entretanto, junto com a inversão de prioridades veio, para algumas mulheres, o medo de envelhecer e não conseguir engravidar. Mas, a ciência também está dando jeito para esta preocupação.

Técnica recente no Brasil, o congelamento de óvulos pode propiciar a mulher maior segurança na hora de escolher ser mãe mais velha. Embora não seja uma garantia, e sim uma alternativa, o procedimento pode ser a resposta para o dilema entre a ascensão profissional e o desejo de ser mãe; ou ainda a salvação para o tratamento de doenças que afetam o sistema reprodutor, como a quimioterapia para o câncer nos ovários.

Recentemente a apresentadora Luciana Gimenez declarou à revista Caras que fez uma coleta de óvulos e congelou para uma gravidez futura. “Decidi guardá-los porque, a partir dos 40 anos, os óvulos começam a envelhecer. Foi uma forma de programar um filho, o que não ocorreu das outras vezes. Não sei quando vou engravidar, mas eu e o Marcelo [Carvalho] não desejamos esperar muito”, disse. A apresentadora ainda contou que gostaria de ser mãe de uma menina, mas que vai deixar o destino decidir o sexo do bebê. “Não penso em manipular”.

Gravidez tardia

Segundo a ginecologista e obstetra Ana Lúcia Beltrame, uma mulher tem até 20% de chance de engravidar a cada mês. Mas, este número é diretamente influenciado por uma série de fatores, como, por exemplo, o estado de saúde e sua idade.

Ao começar ovular, a quantidade de óvulos que uma mulher vai ter ao longo da vida já está determinada. Isto porque eles são produzidos todos de uma vez e estacionados em determinada fase de crescimento. Ana Lúcia usa o exemplo de caixinhas e saquinhos para explicar melhor como é a produção de óvulos de uma mulher.

“A mulher nasce com uma caixinha que podemos chamar de ovário. Dentro dessa caixinha ela tem vários saquinhos. São nesses saquinhos que se encontram os óvulos. A cada mês ou ciclo menstrual, o corpo feminino libera um saquinho cheio de óvulos. Mas, naturalmente apenas um óvulo deste montinho é que vai servir para a fecundação. Todos os outros serão eliminados pela natureza. No mês seguinte, o processo se repete e a mulher libera mais um saquinho”, exemplifica a médica. Ou seja, embora a liberação dos óvulos aconteça desde o começo da menstruação até a menopausa, a quantidade deles já é determinada desde a formação do corpo daquela mulher.

Com o avanço da idade, esses óvulos tornam-se menos eficientes e podem ter sua fecundação ou divisão celular prejudicadas. É exatamente por isso que mulheres que engravidam mais velhas possuem mais chances de desenvolverem fetos com problemas cromossômicos, como a Síndrome de Down, e são mais propensas ao aborto natural. “A natureza é sábia e, se detecta alguma anomalia genética que impossibilitaria o desenvolvimento do embrião, já o elimina automaticamente”, explica a especialista.

Congelamento de óvulos

Com a técnica do congelamento de óvulos, as chances de uma mulher engravidar podem subir para 40%. Mas, Ana Lúcia adverte: “a fecundação natural é ainda a melhor alternativa e o procedimento não deve ser encarado como o único meio de reprodução, mas sim como um auxiliar para mulheres que por algum motivo quiserem ou tiverem que adiar a maternidade”.

Embora a primeira criança nascida de óvulos congelados seja de 1986, o procedimento mais eficaz foi criado há apenas cinco anos. Atualmente, um óvulo descongelado tem 90% de chance de estar com qualidade semelhante ao do fresco.

Quanto custa congelar óvulos?

Com custo semelhante à fertilização in vitro, o preço do congelamento de óvulos varia de acordo com o profissional e com o laboratório escolhido. Mas, em média, o processo com os medicamentos pode ficar entre R$ 10 mil e R$ 15 mil, além da anuidade dos laboratórios, que varia de R$ 500 a R$ 1 mil.

Quem pode ou deve congelar os óvulos?

Embora não substitua o processo natural, pacientes com indícios de menopausa precoce, com prescrição de quimioterapia ou radioterapia e que têm mais de 35 anos e ainda não se sentiram preparadas para engravidar ou não encontraram um parceiro ideal são aquelas que têm indicação para o método.

Como é feito o congelamento de óvulos?

“Não tem como garantir a quantidade de óvulos que será congelada. Cada mulher apresenta um número particular a cada período fértil e é isso que vai determinar o desfecho do tratamento”, explica a ginecologista.

Para fazer o congelamento de óvulos o médico ginecologista deve calcular exatamente quando começa o período fértil da paciente e, durante dez dias, ela terá que aplicar um medicamento que inibe a destruição natural dos óvulos descartados. Através de um controle feito pela ultrassonografia, o médico sabe quando eles estão maduros para a aspiração.

A aspiração é um processo feito em um hospital, com a mulher sedada e que não provoca nenhuma dor. Após o procedimento, o material vai para análise e os óvulos são separados e então congelados.

Quanto tempo um óvulo pode ficar congelado?

O tempo de validade dos óvulos depende diretamente da qualidade do procedimento de congelamento e armazenamento. “Óvulos que são mantidos em laboratórios renomados podem durar muitos anos”, conta a médica.

A partir de quantos anos posso congelar óvulos?

Embora a partir dos 21 anos o Conselho de Medicina já permita que uma mulher opte por congelar seus óvulos, Ana Lúcia afirma que até os 35 anos é o ideal. “Com o passar do tempo eles vão ficando velhos e a sua eficácia diminuída. Em um mundo ideal o congelamento deveria ser feito aos 30 anos”, recomenda.

Em adolescentes com algum tipo de problema no sistema reprodutor, mas que ainda não menstruaram, a solução é congelar parte do tecido ovariano. O processo ainda é pouco estudado e não apresenta resultados tão satisfatórios quanto o congelamento dos óvulos.

Até quando os óvulos podem ser implantados?

Embora não exista nenhuma determinação, é preciso que médico e paciente avaliem cada situação. “É natural que a gente vá ficando cada vez menos disposta com o passar do tempo. Não tem idade limite, mas esses fatores devem ser levados em consideração”, pondera a ginecologista.

Congelar os óvulos acelera a menopausa?

“O processo irá apenas coletar a produção ovariana daquele ciclo. Ou seja, não há nenhuma interferência no tempo fértil do organismo”, esclarece a médica.

Quem congelou os óvulos e fez fertilização in vitro pode ter parto normal?

Segundo Ana Lúcia, a via de nascimento está diretamente ligada à saúde da gestação e não ao modo como se deu a fecundação. “O tipo de parto não tem nada a ver com o método utilizado para engravidar e se tudo estiver bem com mãe e bebê, o parto normal é o mais indicado e o que oferece menos riscos”, finaliza.

Fonte: Vix

Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.