Parto Humanizado

Famosas como Bela Gil, Sophie Charlotte, Gisele Bündchen e cada vez mais mulheres estão aderindo ao parto humanizado. Mas o que é um parto humanizado? E por que está em alta?

Existe uma grande contradição sobre o excesso de intervenções médicas e as consequências no parto e na saúde física e emocional da mulher e seu bebê. Um novo olhar se volta para a importância de se vivenciar, na íntegra, o natural ato de parir.

Segundo o conceito da Organização Mundial de Saúde (OMS) “Humanizar o parto é um conjunto de condutas e procedimentos que promovem o parto e o nascimento saudáveis, pois respeita o processo natural e evita condutas desnecessárias ou de risco para a mãe e o bebê”. (OMS, 2000)

É dar a luz da maneira mais natural possível, concedendo à mulher o controle sob seu parto na hora do nascimento com bases na ciência e seus direitos. Um parto realizado em ambiente harmônico, onde a mãe se sinta confortável e possua o mínimo de intervenções externas.

E quais são as vantagens? De acordo com a OMS o parto humanizado concede à mulher o direito de escolher como passar pelo trabalho e posição de parto. Ter o acompanhamento de uma “assistente do parto” para apoio emocional, físico e informativo durante todo o processo. Fazer uso de técnicas para alívio da dor como banho quente, liberdade de movimento, massagens. Também aumenta o vínculo entre mãe e bebê, através do contato e amamentação imediatos, além de ajudar na redução do índice de depressão pós-parto.

Mulheres que decidem pelo parto humanizado, dizem-se realizadas com a escolha. Veja o relato da baiana Mariucha Guimarães, mãe de duas crianças.

Lembrando que na hora de definir sobre o parto humanizado ou cirúrgico, os cuidados básicos com a saúde da criança e da mãe não podem ficar de fora. Qualquer decisão deve ser acompanhada por médicos.

Fontes: OMS

Input your search keywords and press Enter.