papo_delas_logo

SIGA O PAPO NOSSO CANAL /PAPODELAS
sem_filtro

Guia do vibrador: como escolher o ideal para você

Se falar abertamente de masturbação ainda é tabu, então imagina quando o assunto é vibrador? Mas, migs, está mais do que na hora de baixar a guarda para esses brinquedos eróticos que ajudam (e como!) a dar mais prazer na hora de se entreter sozinha.

Motivos para ter um não faltam! Os estimuladores ajudam as mulheres a treinarem seu corpo para ter mais orgasmos, a conhecerem melhor seu ritmo sexual e também a entenderem onde mais sentem prazer! Além do mais, os vibradores são uma ótima opção para quando você quer chegar lá, mas não está a fim de sexo a dois – ou até para brincar com seu par na cama! Mas é somente depois de derrubar essa barreira da vergonha que você vai entender o que está perdendo.

1. Quais são os tipos de vibradores?

Os tipos são os mais variados: há o massageador clitoriano, o anel peniano com vibro, o massageador com dupla vibração, ponto G e plug anal… Segundo Verônica Rocha, representante da INTT Cosméticos, fica mais fácil categorizá-los pelo local específico em que são usados. Por isso, vamos dividir entre os clitorianos e os vaginais.

2. Vibradores clitorianos

Estes não precisam de penetração. “Eles devem ser posicionados no clitóris, da forma que mais lhe dê prazer. Seja movimentando-o ou apenas deixando ele parado fazendo seu trabalho no lugar posicionado”, ensina Verônica. Caso esteja de olho em um, ela aconselha ficar atenta à duração da bateria e a intensidade da vibração/pulsação do aparelho. Quanto mais intensa a vibração, melhor.

3. Vibradores vaginais

Estes são os clássicos! Para comprar, Verônica indica escolher um formato que favoreça a penetração. Não fique impressionada com tamanho, o ideal é buscar um que seja mais confortável e seguro. “Ele pode vir em modelos mais simples, em formato de pênis simulando o órgão masculino ou em modelos que possuem um dispositivo extra que massageia o clitóris durante a penetração”.

4. E a matéria prima? De que eles devem ser feitos?

Não são só os modelos que variam, mas também os materiais de que são feitos. Existem diversos materiais – acrílico, metal, plástico e látex. Agora, os mais indicados entre todos eles são os de 100% silicone hipoalérgico e à prova d’água. “Eles passam por testes de sensibilização em humanos, são produtos com menos chance de causar alergia”, avisa.

5. Mãos à obra: qual é a melhor maneira de usar vibradores?

Não existe muito segredo para o uso dos vibradores! Antes de mais nada, não esqueça de lavar com higienizador antes de usar. Caso não tenha um específico, limpe com  água e sabão neutro. Na hora de usar, Verônica ensina que o primeiro passo é entender para que o vibrador funciona. “O modelo que você comprou/ganhou é para estimulação do clitóris ou vaginal? Ponto G? Leia as especificações e saiba para qual região ele é mais indicado”.

6. Leia o manual!

Vale também dar uma lida no manual de instruções para seguir as orientações específicas do seu tipo de vibrador. “Muitos vibradores hoje em dia vêm com configuração para mudar a intensidade da vibração ou do impulso.Você pode testar diferentes intensidades na palma  da mão ou no antebraço para saber com qual se sente mais confortável”, comenta. Se tiver vontade de usar um lubrificante, os mais indicados são aqueles à base de água, pois saem com mais facilidade na hora de higienizar.

Vibrador (Foto: Thinkstock)

7. Não curtiu? Use-o de formas diferentes!

Calma, não vá logo descartando seu brinquedinho novo. A orientação é mudar a forma de usá-lo para encontrar o prazer. “Toque todo o corpo com ele, sinta as reações, toque todo o genital, passe-o nos seios, nas coxas para descobrir em quais partes o vibrador provoca mais prazer”, ensina. E não vale se contrair na hora de usá-lo. A ideia é ficar bem relaxada para depois se entregar, ok?

8. Cuide bem do seu vibrador!

Algumas cautelas precisam ser tomadas para usar e manter seu vibrador. Um deles é lavar sempre o seu estimulador. “Assim você garante que ele esteja limpo para o próximo uso”. E jamais, em hipótese alguma, guarde o objeto úmido. “Deixe-o secar naturalmente até que esteja completamente pronto para ser guardado na gaveta”, diz. Veronica também ressalta a importância de guardar seus brinquedos sexuais dentro de um saquinho próprio para  que seja evitado o contato com os outros objetos da gaveta.

Fonte: Revista Glamour

Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.