papo_delas_logo

SIGA O PAPO NOSSO CANAL /PAPODELAS
sem_filtro

Mais uma vitória para a Croácia

A Croácia é uma das finalistas da Copa do Mundo, mas já ganhou no quesito representatividade para o público feminino.  A seleção europeia é a única entre os 32 países selecionados para o mundial, que tem uma mulher exercendo em um cargo de comando.

Como primeira mulher a ocupar um assento no banco de reservas do torneio da Fifa, a ex-tenista, Iva Olivari, 49 anos, é gerente da seleção croata e se destaca em meio a um ambiente majoritariamente masculino. Carinhosamente conhecida como “tia Iva” por alguns jogadores, ela é responsável por toda logística e planejamento de sua seleção. Quem disse que mulher não entende de futebol?

Foto: Reprodução

Sua caminhada no futebol começou a partir de 1992, quando após de uma lesão, ela teve que encerrar a carreira promissora no tênis, levando-a direto para a recém-criada federação de futebol nacional. Em 2012, Iva foi promovida à chefia da seleção, quando Davor Suker, se tornou presidente da entidade.  Dentro do campo tudo é até decidido pelo técnico Zlatko Dalic, porém todo o resto tem que passar por ela.

Foto: Reprodução

Iva ainda está prestes a traçar um novo rumo dessa história, pois além de ser a primeira vez que a Croácia chega a uma final, se o time for campeão da Copa de 2018, ela será a primeira mulher a tocar no troféu em campo, na festa de premiação. De acordo com o protocolo, somente os campões e chefes de estados podem pegar na taça original. E aí? Estão preparados para ver uma mulher levantar a taça?

Foto: Reprodução

Porém, não é só a chefe da seleção croata que anda roubando a cena, outra entusiasta do futebol também chamou bastante atenção nos estádios da Rússia. A presidente da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarovic, fez questão de ir prestigiar os jogos da Copa do Mundo. Mas um detalhe, ela não só foi a quase todas as partidas como também assistiu a maioria da arquibancada, vestida com a camisa do time, junto com os demais torcedores.

Foto: Reprodução

Kolinda é a primeira mulher a ser presidente em seu país. De folga para torcer pela seleção no mundial, a presidente ainda determinou que todos os dias de trabalho perdido serão descontados do seu salário no final do mês.

Foto: Reprodução

É, a Copa é mesmo delas! As mulheres estão cada vez mais conquistando seu espaço e mostrando que qualquer lugar pode ser o delas. A exemplo disso, foi a constatação feita pela Fifa sobre a Copa de 2014, onde quase metade do público entre os maiores países da América Latina foi feminino.

Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.