Defesa pessoal: estratégia física e emocional.

Combinando fundamentos de artes marciais com hatha yoga e comunicação não violenta, a antropóloga Heloíse Fruchi promove oficinas de defesa pessoal para mulheres. Embora socos, chutes e enforcamentos façam parte do repertório das aulas, a ideia é que fora delas as alunas não precisem colocar a pancadaria em ação.

“Saber que se está apta a fazer alguma coisa e que isso não depende de força já gera uma postura preventiva, uma tranquilidade para conseguir respirar e dialogar”, explica Heloise. Com experiências diversas, as alunas muitas vezes se surpreendem após o primeiro contato com a defesa pessoal: “Elas acham que o mais difícil vai ser dar um soco, mas no fim a maior dificuldade é gritar ou entrar numa sala de desconhecidas, olhar todas nos olhos e marcar o seu lugar”.

ASSISTA:

FONTE: REVISTA TRIP

Input your search keywords and press Enter.