papo_delas_logo

SIGA O PAPO NOSSO CANAL /PAPODELAS
sem_filtro

Quer empreender? Aprenda com a fundadora do projeto “Empodere Um Bilhão de Mulheres até 2020”

Ingrid Vanderveldt leva a palavra do empreendedorismo pelo mundo e seu foco são as mulheres. Quanto mais, melhor. Tanto que a investidora fundou e comanda o Empowering a Billion Women by 2020 (Empodere Um Bilhão de Mulheres até 2020): um movimento que busca incentivar, por meio da tecnologia, 1 bilhão de mulheres para empreender e ter sucesso.

Ex-executiva da Dell, ela usou a própria experiência em lidar com desafios – já chegou a se vestir parecida aos homens para conseguir agradar investidores – para criar, isso mesmo, um negócio. Seu produto é uma grande ferramenta para envolver cada vez mais mulheres no mundo business – e, segundo a própria, não tempo melhor que agora para elas abrirem a própria empresa. Em passagem pela Capital para palestras, em uma iniciativa do Consulado dos Estados Unidos em Porto Alegre, Ingrid conversou com Donna sobre temas como educação financeira, mentoria e rede de suporte e deu dicas para quem quer começar o próprio negócio.

Quais os grandes desafios hoje da mulher que deseja empreender? O que você aprendeu com a sua experiência?

Os maiores desafios hoje em dia são: desenvolver autoconfiança, acesso a mentorias, conhecimento sobre finanças (74% dos pequenos negócios falham devido à falta de conhecimento sobre o assunto) e acesso a capital e oportunidades que ajudem as mulheres a começar, crescer e dar sequência às suas ideias. Mentoria é a primeira mudança de jogo pra começar e criar sucesso um negócio.

Foto: Pexels

Foto: Pexels

Você já revelou ter tentado agir mais como um homem para conseguir investidores. Como foi isso?

Foi horrível! Eu estava perdendo minha autoconfiança porque um conselheiro me disse que eu não agia, soava ou parecia como nenhum dos empreendedores/CEO a que os investidores estavam acostumados. Isso faria com que eu nunca arrecadasse o dinheiro necessário. Então, decidi que não deixaria o fato de ser uma mulher me afastar do sucesso. Me tornei mais masculina e perdi completamente a minha confiança. Foi uma ótima lição.

Você acha que esse artifícios como este ainda são necessário para as mulheres?

Com certeza não! Primeiro de tudo: não há tempo melhor para agora para ser um mulher/líder nos negócios. Os investidores estão procurando por você! Se alguém também te disser que você não parece, age ou soa como qualquer outro empreendedor ou CEO que os investidores estão procurando… corra o mais rápido que você puder para outra direção.

Você foi a primeira empreendedora residente na Dell. Como foi essa experiência e como ela impactou na criação do Empowering a Billion Women by 2020 (BW2020)?

Foi uma das melhores experiências da minha vida. Eu fui pra Dell com a ideia para o EBW2020, sabendo que precisava de uma grande parceira de tecnologia para transformar essa visão em algo concreto. É uma honra que Michael Dell e Steve Felice, presidente da empresa, tenham comprado a ideia. Nós trabalhávamos juntos enquanto enquanto eu supervisionava globalmente as iniciativas empreendedoras para a companhia. Sempre digo que não poderia fazer o que faço hoje se não fosse pela Dell. Eles me deram condições para operar em escala e aprender como criar uma iniciativa global de crescimento rápido, com potencial de atingir um bilhão de mulheres em um período curto de tempo. Só no meu último ano na Dell nós atingimos 600 milhões de pessoas.

Foto: Fabio Alt

Foto: Fabio Alt

Como o EBW2020 funciona na prática?

O movimento tem duas vias: uma com fins lucrativos, outra sem fins lucrativos. Na parte com fins lucrativos, nós criamos um software e serviços que ajudam mulheres a começar, aumentar e avaliar seus riscos. Nós oferecemos “negócios em uma caixa”: soluções que promovem acesso a mentorias, educação, treinamento, educação financeira e a capital (risco, investimento e dívida). Tudo através do nosso lançamento recente, o MintHER, uma plataforma que conecta empreendedores a corporações e investidores com o objetivo de fazer negócio. Essa é a primeira vez que empreendedores têm acesso fácil a recursos de financiamento, contratos e capital próprio. Nós temos coaches, eventos e nossos aceleradores, que dão suporte a todos esses serviços. Nós temos 10 comitês globais, cem abrirão neste ano; mais de 350 mil seguidores no Facebook, milhares de clientes, e a meta de ajudar um milhão de mulheres a superar o marco de US$ 1 milhão em receita até 2020. Estamos trabalhando para a nossa meta, buscando ajudar a alocar mais de US$ 1 bilhão em capital até 2020 e através da Fundação EBW, parcerias e apps (com lançamento neste mês).

O que diferencia mulheres como empreendedoras?

Mulheres entregam retorno de investimento 35% maior do que colegas homens. E 90% reinveste 90% do que ganham em suas famílias e, ultimamente, no mundo. Então, se você quer uma economia forte, e próspera, invista em mulheres. Elas são colaborativas e têm uma visão global das coisas.
Nos Estados Unidos, 40% dos empreendedores são mulheres. Esse número seria maior se elas tivessem tantas chances quanto eles? Na verdade, penso que o acesso a oportunidades, especialmente agora com o MintHER, está criando um novo mundo em que mulheres estão tendo tantas quantas, se não mais, oportunidades do que eles. Investidores estão especificamente buscando por empreendimentos conduzidos por mulheres. Pessoalmente, tenho visto que o que precisamos agora é de mais mulheres que queiram começar, crescer e alavancar suas companhias, já que os recursos estão disponíveis para que isso aconteça.

Foto: Pexels

Foto: Pexels

Perguntamos a Ingrid Vanderveldt que conselhos ela gostaria de ter recebido quando decidiu empreender. Confira:

1. Arranje um mentor.
2. Desenvolva um sistema de suporte.
3. Desenvolva um negócio sólido e um plano financeiro.
4. Reúna os parceiros certos.
5. Saiba que as coisas vão dar errado e que isso é parte do processo de aprendizagem sobre o que funciona ou não.
6. Continue: o mundo precisa da inovação das suas ideias para progredir.
7. Se você não tem momentos em que as coisas que achava que dariam certo não dão, você provavelmente não está inovando o suficiente.
8. Monitore seu progresso e aceite se você precisar dar uma guinada: negócios evoluem e mudam na medida que você cresce e tem mais retorno dos clientes.

Fonte: Revista Donna

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.