papo_delas_logo

SIGA O PAPO NOSSO CANAL /PAPODELAS
sem_filtro

Terapia de Casal: Um bem necessário!

A procura de ajuda em conflitos conjugais e familiares já não é motivo de vergonha, o que significa que há uma mudança de mentalidades. Nem todos os conflitos têm que acabar num divórcio, podendo o casal trabalhar as suas diferenças com a ajuda de um terapeuta se esse for o desejo dos dois ou separar-se sem traumas se a continuidade da relação não for possível.

Por outro lado o casal que se desfaz em conjugalidade, não deixará de ser um casal parental, logo, a terapia de casal serve também para ajudar na relação futura com os filhos, depois da separação.  

Todo o indivíduo é um grupo, ou seja, dentro de cada um existe ao longo de toda a sua vida (um pai “bom”, e, ao mesmo tempo, pai “mau”; uma mãe igualmente “boa” e uma mãe “má”), a relação do casal, os filhos, os vínculos entre irmãos… Sendo que cada um destes personagens interage entre si – no seu interior exterior – levando o casal a repitir o “teatro” da sua família, sem que seja possível escapar aos vínculos transmitidos nas suas vivencias de infância. É fundamental para que a vida prossiga que se analisem os aspectos familiares de cada um, fazendo um genograma do casal e de cada um dos membros.

As principais causas que desgastam a relação de um casal, ao ponto de conduzir a um desejo de separação ou divorcio, são as seguintes:

  • Uma profunda desilusão quando a fase de paixão passa e a realidade se impõe.
  • Personalidades imaturas, de um ou ambos, de dependência dos pais, ou quando os filhos nascem.
  • A entrada de uma terceira pessoa na vida do casal.
  • Infidelidade conjugal
  • Lutos patológicos por resolver.
  • Agressões recíprocas
  • Mudança de valores em casais que se formaram ainda muito jovens.
  • Indefinição de papéis junto aos filhos, sogros e pais.
  • Falta de limites familiares com as famílias de origem.
  • Patologia de personalidade de um membro, embora neste caso não seja um factor determinante.

Objetivos da terapia de casal:

  • Reconhecer a relação vincular do casal (que vínculos os unem ou afastam).
  • Perceber o papel da transgeracionalidade (que vínculos e padrões foram passando de geração em geração)
  • Restabelecer o processo de comunicação.
  • Ajudar a compreender as dinâmicas do casal.
  • Aceitar as diferenças do outro.
  • Aprender a respeitar o outro enquanto indivíduo diferente.

“Na terapia de casal o cliente é o casal.”

Como é que se processa a terapia de casal?

A terapia de casal é um processo de análise da relação a dois com o terapeuta, onde ambos vão percebendo os aspectos que impedem a relação de se desenvolver ou decorrer na normalidade. A terapia de casal pode ser em sessões semanais ou quinzenais com a duração de uma hora.

Quando é que não é caso para terapia de casal?

Não há restrições à terapia de casal. Pode-se fazer terapia sempre que o casal tenha um conflito que não consegue resolver sozinho ou se o casal se quiser separar sem conflitos, sobretudo se existirem crianças envolvidas na separação. O casal que se separa deixa de ser um casal conjugal, mas será sempre um casal parental, assim, é conveniente que procurem ajuda mesmo que a intenção seja de se separar, ou que já estejam separados.

Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.