papo_delas_logo

SIGA O PAPO NOSSO CANAL /PAPODELAS
sem_filtro

Tunísia já pode se orgulhar em ter 1ª mulher eleita prefeita em uma capital árabe

Depois de passar mais de três anos em estado de emergência, em decorrência dos levantes da Primavera Árabe, e de aprovar, em 2014, uma constituição mais liberal e progressista para o mundo árabe, a Tunísia vem dando novos passos libertários, especialmente para as mulheres, em seu cenário político. Os frutos da lei de paridade de gênero sobre as últimas eleições no país já começam a ser colhidos, e mais de 50 povoados e cidades já tem prefeitas mulheres no comando – entre elas, a prefeita de Tunes, a maior cidade do país, com mais de 700 mil habitantes.

Foto: Reprodução

Seu nome é Souad Abderrahim, uma executiva de 53 anos que se tornou não só a primeira prefeita da história da Tunísia, como a primeira mulher eleita nas para comandar uma capital em um país árabe. Seu partido, o moderado Ennahda, foi o mais votado das eleições, mesmo sem ter alcançado maioria absoluta. Souad já havia sido deputada pelo partido entre 2011 e 2013, e sua presença na legenda é de natureza independente, visando justamente trazer novos discursos e demandas sensíveis para o Ennahda – como a ecologia, um dos motes de sua campanha.

Foto: Reprodução

Apesar de não utilizar o tradicional véu jihab, de defender a religião como assunto pessoal e rejeitar os partidos de base religiosa e de ter defendido visões feministas durante a campanha, Souad causa receio entre feministas por vir de um passado conservador. Enquanto deputada, posições contrárias, por exemplo, às mães solteiras, fazer de Souad ainda uma incógnita em tais debates – ela afirma que suas posições no passado foram mal interpretadas e manipuladas.

Foto: Reprodução

De toda forma, sua presença e das outras tantas congressistas e prefeitas eleitas na Tunísia já é uma conquista efetiva e simbólica para as mulheres no mundo árabe. Pioneira no reconhecimento do direitos das mulheres na região, a Tunísia aprovou, na constituição de 2014, a lei que obriga partidos a distribuírem os títulos de cabeças de listas igualmente entre homens e mulheres. Hoje, 47% dos vereadores no país são mulheres. “Ofereço esta vitória às mulheres do meu país, a toda a juventude e à Tunísia”, declarou Souad, após a confirmação do resultado.

Fonte: Hypeness

Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.