papo_delas_logo

SIGA O PAPO NOSSO CANAL /PAPODELAS
sem_filtro

Viajar com bebês: casal leva filho para trilhas, praias desertas e dá dicas

Quando Bernardo tinha dois meses, os cariocas Jessica Venerável e Bruno Costa, ambos de 32 anos, viajaram de carro para Arraial do Cabo (RJ), Paraty, Trindade (RJ) e Maresias (SP). Por lá, a dupla, que já conheceu 18 países, fez trilhas, andou nas ruas de pedras, visitou diversas praias e viu que não precisariam deixar para trás o amor pela estrada por conta do nascimento do filho. Eles são autores do blog “Deixa de Frescura”

Quando o bebê estava com quatro meses, a família fez um tour em cidades históricas de Minas Gerais –São João Del Rey e Tiradentes. E não parou por aí: logo depois, eles foram para Recife (PE), Porto de Galinhas(PE), com direito a passeio de jangada, e Fernando de Noronha (PE) de avião, onde ficaram 12 dias e fizeram trilhas Recentemente, estiveram em Petrópolis (RJ) e Cataratas do Iguaçu (PR) –parte brasileira e argentina.

No primeiro mês de vida de Bernardo, Jessica e Bruno optaram por não sair do estado do Rio, por conta de qualquer imprevisto que pudesse ocorrer. Mas sabiam que em breve viajariam com ele. “Deixá-lo com os avós nunca foi uma opção. Queria testar e saber até onde conseguiria ir com ele. Por isso começamos com viagens menores”, conta a mãe do menino que agora tem 1 ano e 2 meses.

É preciso ensinar a criança que o mundo é muito maior que o quarteirão onde ela vive.

“É inacreditável a quantidade de pessoas que dizem que a vida acaba quando você tem um filho. Não sei quantas vezes ouvi: ‘quero ver viajar agora’. E não é assim! É possível viajar com um bebê. Ele fica feliz, sobrevive, não é um bicho de sete cabeças. Lógico que é tudo mais demorado e existe uma preocupação com os horários, com as paradas na estrada”, afirma a blogueira formada em relações públicas.

Foto: Deixa de Frescura/ Divulgação

Julgamentos pelo caminho

“Quando você tem filho, as pessoas agem como você se tivesse que se privar de tudo e viver somente para ele. Mas os pais não deixam de gostar de algo que faziam antes só porque tiveram filhos. Adoro ir à praia, atividades ao ar livre… Como vou me privar disso? No mínimo, não serei feliz”, diz Jessica.

Em Fernando de Noronha, a família decidiu fazer a trilha de pedras da Cacimba do Padre, que dura cerca de 30 minutos. Durante percurso, Jessica, principalmente, precisou lidar com julgamentos alheios e chegou a ter uma crise de choro.

“As pessoas passavam e questionavam: ‘Como assim você trouxe um bebê no sol?’; ‘Você não tem dó de fazer isso?’. Aí, comecei a me perguntar se estava fazendo as coisas certas, mesmo vendo meu filho feliz, sorrindo. Sentei na praia e chorei. Estou tentando equilibrar minha vida pessoal com a maternidade, com a vida de casal. E, por mais que esteja segura, bate a dúvida: estou sendo egoísta?”

Ela diz que vê muita gente falando que não quer ter filho porque acredita que perderá a liberdade ou não conseguirá adaptar os gostos com a nova rotina. “Não precisa mudar completamente quem você é por conta da criança. O primeiro ponto é não se privar, mas adaptar sua vida.”

“Filho tem que vir para somar. O Bernardo é supercompanheiro de viagem”, diz.

A viagem não precisa ser perfeita com o seu bebê, nem você precisa

“Não vou dizer que todo tempo sou segura e forte. Tem um momento que bate a dúvida, o desespero. Mas o legal é ver a resposta do seu filho. Em Noronha, ele viu peixinho, curtiu a água, riu, gostou de estar ali. E bebê não finge, né? É aquilo que você nas fotos, nos vídeos.”

Mudando os próprios conceitos

Antes de se tornar mãe, a blogueira também reproduziu os mesmos comentários que a fizeram chorar. “Eu falava: ‘A criança nem entende o que está vendo no museu, por que trazem?’. Hoje, entendo que esses momentos em família não são apenas para os filhos, mas, principalmente, para os pais, para construção da união familiar.”

“Acho que é necessário ter limites, seja para viajar grávida ou com os filhos, mas dá. Não iria para Fernando de Noronha com um bebê de dois meses, mas seis meses já dá para pensar.”

“É preciso estar preparado para o choro. Lembre-se que os pais são a referência do bebê. Então, mantenha a calma, converse, pare o carro, respire. Não force a criança a nada. No avião, levante, dê uma volta. A criança precisa se ambientar e entender que está tudo bem”, aconselha Jessica.

Foto: Deixa de Frescura/ Divulgação

Confira dicas do casal para uma viagem com um bebê:

Escolha destinos e lugares com infra-estrutura;

Leve roupas coringas, como um body que sirva tanto para o bebê dormir quanto para sair, e muitos babadores;

Não esqueça os brinquedos;

Comer com criança é muito difícil. Prefira restaurantes próximos ou no próprio hotel;

Vai para a praia? Leve sempre um boné e roupa com proteção UV fator 50; se possível, barraca;

Se a criança já pode usar protetor solar, leve de sobra;

Não precisa exagerar nas fraldas, já que isso ocupa espaço e dá para comprar com facilidade;

Tenha à mão um trocador portátil com lenço umedecido e álcool em gel;

Prefira o canguru ou sling ao carrinho, porque dá mais mobilidade e é fácil de guardar;

Leve fralda para piscina ou mar (existe modelo específico);

Tenha um pote térmico para armazenar a comida do bebê;

Fonte: UOL

Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.